ARKIS

ARKIS: Vanguarda - Temporada 02 Episódio 09(17)

Mundo Diferente: Ponte Planetária

Vanguarda

Registros da Resistência
Sir Taylor Hampshire

27 de março de 2036

Eu, Átila e Ressonância iríamos partir em nossa missão secreta naquele mesmo dia, logo o que relato aqui é o compilado do que consegui com os demais membros de nossa Resistência.
As preparações para a missão no Central Park foram feitas.
Lisa foi designada para proteger Quantum, cujos membros cibernéticos foram substituídos por alternativas hidráulicas para evitar ficar completamente inútil diante dos umbrelanos. O velho mostrou-se um excelente cientista, criou uma tocha plasma e um auto-arpéu para Jazz, compensando sua fragilidade no corpo do rapaz Kurtz. Também desenvolveu uma balestra especial para Lucky e dois tasers de carga única para ele e Jazz. Por sugestão de Jazz também ele criou algo que chamara de bobina de Tesla, para gerar um campo energético temporário e manter as Sombras afastadas. Ele também preparou um transmissor para conectar à Ponte, mas esse precisaria que os umbrelanos estivessem afastados para não parar de funcionar.
Ulana, sob ordens do Rabino, trouxe sua pesquisa para Dion que aprofundou o estudo. Ela havia descoberto que determinados cristais que estavam sendo usados pelos umbrelanos na Torre Planetária emitiam uma frequência quando estimulados que afetava os umbrelanos. Lucky conseguiu uma boa quantidade desses cristais e eles o colocaram na espada de madeira de Musashi, incorporaram nos componentes das granadas de luz e nas setas da balestra de Lucky. Junto com os encantamentos de Zarus, eles esperavam que pudessem causar mais danos aos umbrelanos, especialmente no Pesadelo Nagai.
Magni teve algumas discussoes com Ayumi, que estava desolada por ter perdido seu amante (desde que sobreviveu à luta contra os umbrelanos, Musashi foi cuidado e tratado por Ayumi, que era uma das pesquisadoras de nós, os extemporâneos. Naturalmente, essa relação ficou bem profunda), e também passou um bom tempo com Mac, que o preparava mentalmente. A desconfiança de Magni quanto a Rabino e os demais da Resistência aumentava e parecia ser comum entre seus colegas tripulantes Jazz e Quantum, excluindo todos nós de suas conversas reservadas.
Lucky comentava como curiosamente cada um dos tripulantes parecia sempre acompanhado de alguém que não o era. Jazz ficava desconcertado pela preocupação de Nadia, mãe de Kurtz. Magni tentava inutilmente encontrar uma forma de consolar Ayumi. Quantum não parava de ouvir as reclamações de Lisa quanto a ser designada de babá dele. Mac acabou se mostrando um biocientista e acompanhava Ulana em suas pesquisas. Ressonância era o tempo todo perseguido por Sarah, a filhinha da Alek. E Snickers estava sempre verificando e checando a comatosa Thiara, que mantê-la viva havia se tornado meio que uma meta pessoal de Dion, algo como seu símbolo de esperança. Achei curioso também, mas vi como o início de uma aliança e laços de confiança se formando.
Levamos um tempo atualizando os tripulantes das forças e fraquezas dos umbrelanos. Em geral, todos eles fazem com que sistemas elétricos e eletrônicos parem de funcionar, o que convenientemente inibe o uso da maioria das armas que seriam capazes de afetá-los. As Sombras e os Pesadelos, umbrelanos puros, são quase incorpóreos e só são afetados por altas energias (algo como tocha de soldagem ou lança-chamas modificado) ou magia. Nós havíamos identificado 3 tipos de umbrelanos, ou 4 se você considerar Umbras. eram eles Sombras, Pesadelos, Sonâmbulos e Umbra. Outro ponto comum entre eles é que se deleitavam com sofrimento alheio, parecia que era mais que alimento para eles.
Sombras são como espectros intangíveis, precisavam necessariamente possuir um corpo ou se desvaneciam em poucos instantes. Os possuídos pela sombra eram envolvidos numa camada de escuridão viva que ampliava suas capacidades físicas e até possuía garras. Nesse estado, era possível matar o hospedeiro com armas normais, mas isso na maioria das vezes não eram uma boa idéia, pois as Sombras pulariam para a próxima vítima (muitas vezes o próprio adversário). Quando desincorporadas elas ficam extremamente sensíveis a energias luminosas intensas, daí as grandas de luz poderiam dar conta deles. Uma pessoa poderia resistir à possessão da Sombra, mas isso a esgotaria e dificilmente conseguiria resistir a uma segunda ou terceira Sombra.
Os Pesadelos eram os monstros e generais. Cada um deles era extremamente diferente do outro, mas igualmente letais. Absurdamente mais poderosos que as Sombras, e inclusive podiam gerar um número indeterminado delas, e impossivelmente cruéis. A maior fraqueza deles eram seus Sonambulos, dos quais remotamente drenavam as emoções negativas e reforçavam seus poderes. Enquanto um Sonambulo estivesse vivo, era virtualmente impossível matar um Pesadelo, mesmo com magia. Mas uma vez morto o Sonambulo, o Pesadelo enfraquecia, embora ainda continuasse extremamente letal. Nessas horas, normalmente eles fugiam e buscavam um novo Sonambulo, processo que poderia levar de uma a quatro semanas (a depender da mente do Sonambulo).
Contamos que Pesadelos havíamos identificado na região. Eram eles Katrya, a harpia caçadora, cuja Sonambula era Ilyahsa, uma assassina cruel que usava chicotes vivos (que Dion matou, agora Katrya ficaria enfraquecida por um bom tempo); Nagai, o imenso homem-serpente escravagista, cujo Sonambulo é Gene, antigo aliado do Rabino; Elmo Negro, o espectro da traição, cujo Sonambulo chamavamos de Fantasma de Ferro, um mascarado artista marcial que superava até nosso especialista Átila em combates; e por último Nyx, o monstruoso demônio da fúria, cujos Sonambulos nunca duravam muito pois tamanha era a fúria e fome do Pesadelo que ele consumia e secava em poucos dias seu Sonambulo, forçando-o a buscar novos quase toda semana.
Os Sonambulos eram pessoas que alimentavam remotamente os Pesadelos com emoções negativas. Em troca, os Pesadelos concediam a eles vários e específicos poderes. Cada Sonambulo eram muito mais forte e resistente que humanos normais. Muitos Sonambulos eram voluntários, traidores da raça humana que queriam se safar na invasão umbrelana ou dar vazão a seus desejos e fantasias doentias. Alguns, como Gene, eram pessoas que tinhas suas mentes e seus corações distorcidos e corrompidos. Não estavam sendo dominados literalmente, mas já não agiam ou pensavam mais da forma que costumavam (muito graças a influência psíquica dos Pesadelos). Diferente dos outros umbrelanos, Sonambulos podiam ser mortos com armas comuns, embora os poderes concedidos pelos Pesadelos tornava isso uma tarefa bem árdua.
Umbra era um caso a parte. Ela foi a primeira e acreditamos que era a única. Podia mudar de forma a vontade, inclusive alternar entre incorporeidade e solidez, e gerar Sombras e Pesadelos sem qualquer limitação. Mesmo altas energias pareciam não surtir efeito contra ela, pois era capaz de conter essa energia emitida e gradativamente absorvê-la. Era um ser divino, ou demoníaco, para todos os efeitos.
Rabino reuniu todos e reforçou a missão secundária de trazer Gene vivo, mesmo sabendo que seria quase impossível. Toro insistiu porque seguir com uma missão de risco tão grande por apenas uma pessoa, não parecia fazer lógica dentro da estratégia da Resistência e do modo de Rabino agir. Rabino a principio esclareceu que era uma dívida que ele tinha com Gene, que salvou sua vida. Isso surpreendeu a todos, mas então Rabino concluiu que Gene também havia desenvolvido o processo de produção de bioroids, e com ele resgatado e um laboratório adequado, poderiam gerar mais soldados melhor preparados para as futuras lutas (isso incomodou mais ainda Magni, que não gostava de ver como Rabino os usava como ferramentas).
Jazz insistiu em saber como Rabino sabia tantos detalhes dos umbrelanos, incluindo certas fraquezas e capacidades. Rabino revelou então que, logo no início da invasão, ele fora feito de Sonambulo de Nyx. Seu corpo seria consumido em poucos dias, não fosse Gene e um grupo indo resgatá-lo. Gene sabia que um líder como Rabino era essencial para a sobrevivência da humanidade, então aceitou essa missão suicida. Vendo a disposição e os corpos de seus homens sendo despedaçados por Nyx, o fez lembrar de quem era e reforçar sua vontade a ponto de superar a ligação com o umbrelano. Rabino escapou e Gene foi capturado, mas o próprio Rabino ficou semanas se recuperando dos danos feitos por Nyx. Durante esse tempo como Sonambulo, Rabino deve acesso a informações gerais sobre os umbrelanos, informações essas que foram cruciais até hoje.
Magni entendeu que além de um recurso, Gene era um fiel amigo, e isso o motivou a resgatá-lo. Snickers e Quantum trabalharam em produzir doses de LSD na intenção de tentar dopar Gene para facilitar qualquer ação de Zarus em desfazer o pacto umbrelano. O grupo partiu já devidamente preparado, seguindo as rotas definidas por Lucky. Antes de parti, observei que Ayumi, com uma expressão clara de tristeza e raiva, foi falar com Zarus e deu-lhe um punhal japonês, me pergunto o que eles conversaram. Foram na missão Magni, Jazz, Snickers, Quantum, Zarus, Lucky, Lisa e Toro. Eu, Átila e Ressonância partimos em nossa missão no mesmo dia.
Segundo me informei, o grupo chegou ao Central Park e encontrou uma situação parecida com a que descrevi. A Ponte Planetária estava praticamente pronta, Nagai próximo a ela supervisionava sua finalização. Centenas de escravos e centenas de Sombras estavam espalhados pela região e Gene estava a conduzí-los e acçoitá-los. Nele haviam 6 escravos presos a sua cintura por enormes correntes de ferro. Gene carregava uma escopeta que tinhamos certeza ser bem meis que uma arma comum, e seu corpo estava claramente alterado pelo poder concedido por Nagai.
O grupo desenvolveu um plano rápido e arriscado. Jazz conseguiu dar partida em um jipe que não iria para pela presença umbrelana levou a Bobina de Tesla com ele. Junto com ele, foram Magni, Snickers e Toro. Jazz arremeteu o Jipe contra Gene, desviando habilmente de todos os obstáculos, escravos e Sombras. Na última hora de atropelar o reforçado Sonambulo, numa manobra impossível, Jazz propositadamente capotou o jipe por cima de Gene, surpreendendo-o e colocando todos dentro em uma excelente posição de vantagem sobre ele. Snickers começou a disparar contra as correntes que ligava, Gene aos escravos e, numa saraivada veloz, libertou todos os 6. Magnu aproveitou a proximidade e pegou uns 8 dardos embebidos com LSD e enfiou no pescoço do despreparado Sonambulo, enquanto Toro o puxava para dentro do Jipe. Quando o jipe caiu, de pé, após a incrível manobra, Gene já estava estrebuchando desacordador pela overdose. Jazz ligou a bombina de Tesla, evitando temporariamente a aproximação das Sombras, e partiu para longe do Central Park. Vendo seu Sonambulo, fonte de seu alimento, em perigo, Nagai afundou-se no solo e partiu em perseguição como se navegasse velozmente por baixo do solo.
Aproveitando a distração e o afastamento de Nagai e Gene, Quantum, Lucky, Lisa e Zarus avançaram para a Ponte Planetária. Enfrentando a horda de Sombras que os atacava e também aos escravos. Zarus usou um feitiço para desfazer as correntes do escravos em pura ferrugem, permitindo que eles fugissem. Lucky usava sua agilidade e percepção de espaço para enrolar o máximo de Sombras em uma corda, enquanto Lisa cobria ela com disparos precisos. quantum avançava desimpedido para a Ponte, que estava desguarnecida, para preparar seu equipamento de transmissão. Lucky prendeu as Sombras, mas essas começaram a matar os hospedeiros umas das outras, libertando-se das limitações físicas e avançando como espíritos famintos em Zarus e Lucky. Zarus resistiu à possessão delas e Lucky tentou afastá-las com as setas de cristais especiais, mas não deu muito certo e ela acabou dominada por uma Sombra, virando-se e atacando Quantum. Zarus conseguiu fazer um feitiço para atrasá-la num pequeno tornado de areia, enquanto Quantum jogou para Lisa seu Taser de tiro único. Lisa descarregou a corrente elétrica em Lucky, debilitando-a mas destruindo a Sombra pela poderosa descarga de energia.
Quantum aproveitou que as Sombras se dissiparam e não mais interferiam com os equipamentos eletrônicos e pois seus transmissor para funcionar, enquanto Lisa preparava os explosivos para destruir a Ponte. Quantum havia emitido o sinal e conseguido duas respostas, declarando que havia descoberto onde a Vanguarda estava. Antes de dizer para os outros, foram todos supreendidos pelo vôo rasante de Katrya, que mesmo enfraquecida carregou Quantum encravando suas garras em seus ombros e o levando para longe. Lucky, ainda tonta, em rápidos saltos, foi ao ar e laçou a perna de Katrya com uma corda, mas não foi capaz de manter-se segura, caindo de certa altura e desmaiando com o impacto. Zarus e Lisa viram que era inútil tentar seguir o Pesadelo mais rápido e ativaram os explosivos da Ponte Planetária, levando Lucky dali enquanto Zarus teleportava os três de volta para a base da resistência.
Nagai resistia facilmente aos ataques de Toro e Magni, mesmo esses usando espadas encantadas, lança chamas e granadas de luz. Tudo porque seu Sonambulo, embora inconsciente, ainda estava vivo. O Pesadelo alcançou o jipe e o partiu em dois. Todos dentro dele saltaram para fora, mas agora não tinham escolha a não ser enfrentá-lo. Conseguiam atrasá-lo, mas logo seus recursos se esgotariam e suas feridas logo os derrubariam. Sob sugestão gritada de Magni, Snickers sacou uma droga de sua sacola e injetou em Gene, parando seu coração e induzindo um estado de morte no Sonambulo. Visivelmente Nagai enfraqueceu, reduzindo seu tamanho, força e resistência. Magni e Toro tomaram fôlego e aumentaram a cadência de seus ataques, aproveitando a breve janela de vantagem.
Tão concentrados que estavam, apenas Jazz percebeu o vulto de Katrya cruzando os céus carregando Quantum desmaiado e uma corda laçada nela. Tomando uma decisão rápida, Jazz usou sua agilidade de garoto sobrevivente e subiu diversos obstáculos, ganhado altura e saltou, disparando seu auto-arpéu na corda pendurada, enroscando os cabos. Katrya partiu arrastando Jazz como se ele nem importasse.
Magni e Toro nem respiravam enquanto atacavam Nagai. A espada de madeira encantada rachava o crânio e os ossos do monstro enquanto as granadas e chamas calcinavam sua carne sombria. Num último e conjunto ataque, a espada de madeira esmigalhou a cabeça do Pesadelo enquanto uma granada enfiada em seu corpo explodia num enorme clarão. O Pesadelo gritava um urro inumano e o clarão dispersou todo seu corpo como se ele nem tivesse existido. Snickers viu que era o momento e começou a reanimar o corpo de Gene, tinha poucos segundos para ressuscitá-lo sem maiores sequelas. Após tensos momentos, percebeu a batida do coração de Gene e via seu corpo mudando, perdendo as alterações feitas pelos umbrelanos e voltando a aparência levemente gorda do antigo Gene, que estava desacordado, mas vivo.
O dia tinha sido um sucesso. Olhavam para os lados e não encontraram Jazz, então retornaram à base onde foram ovacionados pela resistência. Haviam destruído a Ponte Planetária e completado a missão, haviam salvado centenas de escravos, mas, principalmente, além disso, há muitos anos ninguém derrotava um Pesadelo, e nunca sem matar seu Sonambulo. Rabino agradecia os tripulantes, que faziam o impossível tornar-se realidade. No entanto, a comemoração arrefeceu quando souberam das notícias, Quantum havia descoberto o paradeiro da Vanguarda, mas fora sequestrado por Katrya, e Jazz não estava em lugar nenhum. Pensavam o que deveriam fazer enquanto ouviam o choro de Nadia por seu pequeno Kurtz.

Comments

d_real_one d_real_one

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.